Alerta sobre o que não fazer com a cadeirinha para carro do seu filho

Segurança é assunto sério, e quando estamos falamos da segurança dos nossos filhos, todo cuidado é pouco.

Desde 2010 é obrigatório o uso da cadeirinha para transporte de crianças de até 36 kg nas estradas brasileiras. Descumprir a regulamentação não só coloca em risco a segurança, como também acarreta em multa gravíssima e sete pontos na carteira de motorista.

Porém, além de utilizar o dispositivo, é preciso ficar atento quanto à instalação do produto e algumas outras situações que comprometem a eficácia da peça.

A Tutti Baby, marca brasileira especializada em fabricação de produtos para bebês e itens de retenção, listou cinco atitudes que não devem ser adotadas quando o assunto é a cadeirinha do automóvel das crianças e faz um alerta: “Além da instalação correta, os pais precisam estar atentos ao uso de acessórios que não sejam do mesmo fabricante do produto e evitar o uso após qualquer tipo de acidente.” Confira:

– Capas e revestimentos que não sejam originais: ao optar por determinado modelo de cadeirinha, utilize apenas o revestimento desse fabricante. Lembre-se de que os modelos e formatos podem variar de acordo com a marca e o uso de uma capa diferente compromete a segurança e firmeza do cinto de segurança. Caso necessite realizar a troca do tecido, entre em contato diretamente com a ouvidoria da marca do dispositivo.

– Nunca utilize uma cadeirinha que já tenha sofrido acidente: mesmo que a ocorrência tenha sido leve e ela pareça intacta, descarte imediatamente a cadeirinha. Independentemente da marca, o produto é desenvolvido para resistir a impactos, mas pode sofrer alterações internos que irão comprometer a segurança em caso de um novo impacto. Preze sempre pela prevenção.

– Slumber sling e outros acessórios: a Tutti Baby alerta que o uso de acessórios não é indicado em nenhum momento. As faixas para segurar a cabeça do bebê, chamadas de slumber sling, por exemplo, sequer possuem certificação de órgãos acreditados e podem ocasionar acidentes. Também evite o uso de almofadas ou outros acessórios que comprometem o ajuste do cinto de segurança.

– Redutores: a cadeirinha ideal é aquela que fica perfeitamente ajustada ao tamanho da criança. Se nenhum modelo ficar correto, utilize um redutor somente se for do mesmo fabricante do dispositivo. É comum que bebês prematuros necessitem desse ajuste nos bebês conforto, mas é importante que ambos sejam da mesma marca e feitos justamente para o encaixe ideal.

– Instalação e tamanho correto: nunca utilize a cadeirinha de qualquer jeito. O dispositivo deve ser instalado conforme o manual de instruções e no banco traseiro – exceto se o carro não possuir. A instalação deve ser feita com o cinto de três pontos, ou seja, nas laterais dos veículos, já que a maioria não conta com este modelo no banco central traseiro. Esteja atento durante as viagens para garantir o conforto da criança. A partir dos 18 kg, por exemplo, ela começa a utilizar a cadeirinha com o cinto do carro, que deve passar pelo ombro e nunca pelo pescoço.

Texto e fotos: Assessoria Tutti Baby

Seja o primeiro a comentar em "Alerta sobre o que não fazer com a cadeirinha para carro do seu filho"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*