Cinderella, de Billy Bond, no Teatro Bradesco

Depois de encenar quatro espetáculos musicais em 2018 (O Mágico de Oz, Branca de Neve, Uma Noite na Broadway e Natal Mágico), o diretor Billy Bond começa 2019 em ritmo de Cinderella.

Conhecido por revisitar e inovar na encenação de clássicos do universo infantil, o diretor, músico e produtor apresenta sua nova versão para a história da gata borralheira que virou princesa ao calçar o sapatinho de cristal a partir de 5 de janeiro, no Teatro Bradesco. O espetáculo fica em temporada até dia 17 de fevereiro, com apresentações, às 15 horas.

Em cena, palco giratório para dar sensação de movimento,orquestra ao vivo e 25 atores, cantores e bailarinos. A história de Cinderella é contada com recursos de última geração, como a tecnologia 4D, efeitos especiais e de iluminação. São usados 160 metros de leds, gelo seco, telões, ilusionismo, explosões e aromas, tudo para envolver o público na magia da história. A proposta é despertar no espectador de todas as idades a sensação de estar dentro do espetáculo.

Baseado no conto original dos Irmãos Grimm, o musical tem direção-geral de Billy Bond, que também assina a direção-geral de dramaturgia em parceria com Andrew Mettine e a adaptação do livro Uma História de Amor (de Paul Stewart & Alan Paul) junto com Lilio Alonso.

A superprodução tem cenários assinados por Cyrus, figurinos de Carlos Gardin,design de luz de Paul Stewart, caracterização e makes de Paula Canterini (que está em cena como a Fada Madrinha). O elenco traz Vanessa Ruiz no papel-título, Felipe Tavolaro como o Príncipe e Titzy Marques na pele da Madrasta.Márcio Yacoff responde pela direção de cena.

Adaptação de clássicos

Depois que o pai de Cinderela morreu, sua madrasta tomou conta da casa e a obrigou a cuidar de todos os serviços domésticos e a fezalvo de deboches e malvadezas. Um belo dia, foi anunciado que o Rei realizaria um baile para que o príncipe escolhesse sua esposa dentre as moças do reino. Com a ajuda da sua fada-madrinha, Cinderela se arrumou lindamente para a festa onde encontrou o Príncipe, que se apaixonou por ela. O resto da história todo mundo sabe, mas sempre há um jeito diferente de contar um final feliz.

Desde 2003, BIlly Bond direciona seu foco de interesse para revisitar e homenagear clássicos de todos os tempos da Literatura Infantil. Sua primeira montagem, O Mágico de Oz, foi prestigiada por um público superior a 1 milhão e 800 mil espectadores na América Latina. O segundo espetáculo, Pinóquio – o Musical, estreou em 2006 e foi aplaudido por 900 mil pessoas no Brasil. Em seguida, foram apresentadas as montagens de A Bela e a Fera, Peter Pan, Branca de Neve, A Bela Adormecida e Alice no País das Maravilhas.

“Encenamos Cinderella desde 2012, cerca de 300 mil espectadores já nos prestigiaram. Fazemos adaptações brasileiras de grandes musicais e a cada temporada sempre apresentamos novidades. Agora há orquestra ao vivo, palco giratório e 160 metros de Leds”, fala o diretor-geral do espetáculo Billy Bond.

Divulgação

Serviço:

Cinderella

Quando? De 5 de janeiro a 17 de fevereiro.

Onde? Teatro Bradesco (Rua Palestra Itália, 500 / 3º piso – Bourbon Shopping)

Que dias e horários? Sábados, domingos e feriados às 15 horas

Pra que idade? Livre.

Qual a duração do espetáculo? 120 minutos (intervalo de 15 minutos).

Quanto custa?
Plateia (A a H) R$ 160,00 e R$ 80,00 (meia-entrada)
Plateia (J a N) R$ 140,00 e R$ 70,00 (meia-entrada)
Plateia (O a W) R$ 120,00 e R$ 60,00 (meia-entrada)
Camarote R$ 160,00 e R$ 80,00
Frisas 1º Andar R$ 80,00 e R$ 40,00 (meia-entrada)
Balcão NobreR$ 80,00 e R$ 40,00 (meia-entrada)
Frisas 2º e 3º Andar R$ 60,00 e R$ 30,00 (meia-entrada)

Seja o primeiro a comentar em "Cinderella, de Billy Bond, no Teatro Bradesco"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*