Mequetrefe Sorrateiro estreia no Teatro Porto Seguro

O espetáculo infantil Mequetrefe Sorrateiro, com texto e direção de Marcello Airoldi, estreia dia 28 de outubro, no Teatro Porto Seguro. As sessões acontecem aos sábados e domingos às 15h, até 3 de dezembro. No elenco, André Capuano, Dani Moreno, Eugênio La Sálvia,Fagundes Emanuel e Juh Vieira.

Mequetrefe Sorrateiro aborda o universo afetivo de um menino diante da separação de seus pais e sua transição da infância para a adolescência. Com muita música, poesia e animações, a história de Menino é contada a partir de suas tristezas e alegrias e as consequências que estas trazem em seu aprendizado e amadurecimento. Em sua trajetória, o contato com outros personagens o ajuda a reencontrar caminhos que pareciam perdidos. Temas como relacionamento, convívio com as diferenças e a autoconfiança são abordados no texto, apontando para o desenvolvimento saudável da criança.

Certo de que a arte é uma das chaves para o melhor convívio entre o indivíduo e a sociedade, o autor e diretor Marcello Airoldi conta que o personagem menino não é inspirado em ninguém especificamente, mas tem características presentes em toda criança, seja ela menino ou menina. “A peça fala, entre outras coisas, que a experiência faz a gente amadurecer, crescer. As aventuras vividas pelo Menino fogem do tempo cronológico e da realidade dos espaços. O quintal de sua casa é um lugar onde tudo pode acontecer, de acordo com sua imaginação. É também o lugar onde o teatro se dá, onde a poesia nasce e o tempo se transforma. A transição da infância para a adolescência acontece porque ele teve de viver o que a vida lhe ofereceu. Ele convive com outros personagens cheios de histórias e vive a experiência de que a memória é um dos bens mais preciosos da vida”, afirma.

O espetáculo tem dramaturgia construída a partir de rimas e canções. Uma das ideias é que as palavras não apenas carreguem seus significados, mas sejam elementos de provocação a novos sentidos. Na peça, as palavras encadeiam poemas, jogos, trazem novos olhares para os mesmos símbolos já conhecidos. As rimas dão musicalidade às frases, embalando um jeito de ouvir a história que foge do convencional, caracterizando uma estética na composição das cenas.

A importância da palavra na peça fica mais clara à medida que Menino, protagonista da trama, vai perdendo a capacidade de ler. Ele deixa de compreender os significados das palavras e até mesmo de enxergá-las, quando escritas. Além disso, Menino perde a capacidade de ver as cores e de ouvir músicas.

Esses elementos – palavras, músicas e cores – são símbolos de sua relação com a maturidade. Este rito de passagem entre a infância e a adolescência carrega o ambiente propício para o surgimento do Mequetrefe Sorrateiro, personagem invisível, fantástico, que atormenta o dia a dia da criança roubando seus prazeres e sensibilidades, chaves fundamentais para seu desenvolvimento.

O texto aborda aspectos difíceis da infância. Os desafios que a vida traz – as perdas, a morte, o amadurecimento, o amor, a amizade, o medo – são tratados de forma contundente. A história apresenta a formação de uma família nova e possível na qual os pais não mais moram juntos, mas têm de conviver. A elaboração de um novo jeito de pensar, um novo jeito de ver o mundo, é transmitida pelo ponto de vista do Menino. Na tentativa de capturar o Mequetrefe Sorrateiro, causador de todos os quiproquós da trama, os personagens fazem contato com suas próprias histórias e percebem o quanto estão ligados uns aos outros, pois apenas sua integração dará conta de resolver os problemas. Elias, o poeta do quintal, mostra que não há receita ou armadilha para dominar o Mequetrefe Sorrateiro, personagem que habita os aspectos sombrios de todos nós e que reaparece de tempos em tempos, mas que ignorá-lo é esconder-se de si mesmo.

Sinopse

Por causa de uma grande tristeza sofrida, Menino começa a enxergar em preto e branco, não consegue mais ouvir músicas, além de não enxergar mais as palavras escritas. A relação com o pai músico torna-se um desencontro, já que Menino deixa de ouvir os sons que saem de sua flauta simbolicamente evidenciando a distância entre os dois. Tudo isso por causa do Mequetrefe Sorrateiro, que rouba todos os sonhos e desejos das crianças. Junto com os outros personagens, como Pai, Mãe e Elias, o poeta do quintal, Menino consegue se livrar do vilão que entristece a todos.

Divulgação

Serviço:

Mequetrefe Sorrateiro

Quando? De 28 de outubro a 3 de dezembro

Onde? Teatro Porto Seguro (Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo)

Que dias e horários? Sábados e domingo, às 15h

Quanto custa? R$ 50,00 plateia / R$ 30,00 balcão e frisas

Pra que idade? Livre

Qual a duração? 60 minutos

Local:

Seja o primeiro a comentar em "Mequetrefe Sorrateiro estreia no Teatro Porto Seguro"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*